201505.30
0
0

A grande crise rastejante

A grande crise rastejante de Vito Letízia, tem uma importância singular para a compreensão da conjuntura, pelo método empregado para analisá-la. Ao refletir sobre o lugar da China no mundo contemporâneo, por exemplo, Vito Letizia não se contenta com agrupar os dados mais imediatos, mas mergulha fundo na história do país, para daí extrair as…

Número 21 (julho de 2015)
201505.27
0
0

Número 21 (julho de 2015)

EDITORIAL A CRISE NO MUNDO A economia capitalista sete anos depois do início da crise econômica e financeira mundial François Chesnais Mutaciones del capitalismo en la etapa neoliberal III. Controversias Claudio Katz Le Canada économique: un colosse aux pieds de bitume Louis Gill A resistível ascensão do Front National na França Denis Collin De los…

201505.27
0
0

Número 20 (dezembro 2013)

Editorial A crise no mundo España y el rescate financiero. España en guerra/II Domingo Marrero Urbín Movimientos ciudadanos anti-nucleares, más heridas de muerte en el seno de la insaciable industria atómica y tenebrosos asuntos complementarios Salvador López Arnal Mutaciones del capitalismo en la etapa neoliberal II. Ascendentes, intermédios y periferia Claudio Katz A crise na…

201505.26
0
0

Número 19 (dezembro 2012)

Editorial A crise no mundo Mutaciones del capitalismo en la etapa neoliberal I. Economías centrales Claudio Katz Bancos contra povos: os bastidores de um jogo manipulado! Eric Toussaint La logique financiaro-rentière des sociétés transnationales Claude Serfati A boa notícia é que Romney perdeu, a má é que Obama ganhou Jorge Vital de Brito Moreira A…

200907.24
0
0

O primeiro morto

por João Filho Não houve um Éden. A carne é perversa não porque fomos expulsos. O mais duro em nós. – Os ossos? Não. A fé.  Toda coisa esconde sua sombra, desimporta o que aplicares – práxis ou contemplação, não se revelam, impondo existimos. Movimento, talvez espúrio, ao que imaginamos e ao encontrado.  A carne…

200907.24
0
0

João Tenório e o desejo fujão

por Eduardo Sande João Tenório esfregou seus olhos, vindos de seu sono, acordado que fora pelo relinchar de Bonpeão. Relanceou o olhar para o animal apeado querendo ainda acostumar as vistas com o enluarado sertão. Divisou o semblante do cavalo com o olhar que, vindo da claridade de seus sonhos, ainda teimava em não se…

200907.24
0
0

Ingênua narrativa de um homem que dormiu demais

por José D’Assunção Barros (Universidade Rural do Rio de Janeiro) … Só fui acordar vinte anos depois. O Despertador tinha me traído — descaradamente! Tinha sido preparado para berrar às sete do dia seguinte, mas resolveu permanecer calado durante aquele “quinto” de século. Por fim, reuniu todas as suas forças de máquina em um berro…