201610.29
0
0

Juventude consciente: Ana Júlia (adolescente de 16 anos) discursa na Câmara dos Deputados do Paraná, por Jorge Nóvoa

anajulia


É a política no sentido mais puro do qual falava Aristóteles! Não pode existir maior determinação! Uma fração importante de adolescentes já se mobilizou para política e isto é um dos fenômenos de sociologia política mais importantes do Brasil de hoje. Eles estão sendo obrigados a arrancar um futuro que também precisa ser deles, vez que não lhes dão mais futuro.


Com o mínimo de boa vontade qualquer um é capaz de lhes reconhecer não apenas a inteligência, como a justeza de seus argumentos. Não pode existir contabilidade certa quando se sacrifica o futuro de nossos adolescentes e jovens, enfermos e idosos!


Esses jovens não são contra a política em si, vez que a fazem. Não são contra os partidos. São contra a manipulação ou serem manipulados ou tratados de bobinhos! Eles não vão arredar pé. É um movimento profundo que tem uma linhagem que remonta aos anos 1980 no qual os jovens começaram a dizer que se encarregavam eles mesmos de seus assuntos. Viu-se isto pelo menos em três lugares: na França em 1986 quando ocorreu uma gigantesca greve geral vitoriosa de estudantes dos liceus e das universidades contra a Lei Devaquet de reforma do ensino, na Espanha em 1987 e na famosa Revolução Pinguim (por conta dos uniformes) no Chile quando os adolescentes fizeram uma greve geral com ocupações que durou pelo menos 5 meses em 2006. Sobre a revolução estudantil no Chile, vale assistir o documentário de Carlos Pronzato, A rebelião dos pinguins


Assista ao discurso de Ana Júlia, na Câmara dos Deputados do Paraná, uma representante dessa juventude que não quer ser manipulada e luta por um futuro melhor.


Leia, também, o post de Elder Pereira sobre o assunto.