201706.19
0
0

‘Trayectorias, ciclos y miradas del cine español (1982-1998)’ livro organizado por José Luis Sánchez Noriega

trayectorias

O cinema espanhol, durante os governos socialistas das últimas décadas do século XX,se caracterizou, em primeiro lugar, por uma forte crise com a diminuição do número de filmes, de espectadores e de salas de cinema, que envolve todo um processo de redução do tecido industrial em diferentes setores, desde a automização da produção, com empresas menores, até a distribuição, onde têm maior destaque as subsidiárias multinacionais de grandes estúdios americanos. A crise não tem apenas uma dimensão econômica, mas afeta a percepção que a sociedade espanhola tem de seus filmes, com um descontentamento mais evidente desde a década de oitenta, tornando-se comum entre as gerações mais jovens desacreditar qualquer estreia espanhola. Talvez isso explique as referências pejorativas intermináveis e o rótulo de “crise do cinema espanhol” até o presente.
Essas são algumas das questões abordadas pelo livro Trayectorias, ciclos y miradas del cine español (1982-1998), organizado por José Luis Sanchez Noriega.