Voz

Encorajados e perdidos,

sãos e vadios do nosso tempo,

erramos o caminho do presente.

Circundo o mundo e o mundo é

astral

cabal

banal.

Caí na imensidão do tempo:

virtude e fealdade se confundem.

Um clown entristecido

uma roda-gigante

uma tenda de circo que envelhece de sol.

Haveis de conhecer um dia

a feiura do belo

e neste dia choverás inteira.

A gentileza assusta,

a sordidez espanta?

As ruas passeiam por nossas vidas

e nas ruas passeiam ratos,

restos de um dia sujo.

Lama de esgoto e córregos

passeiam pela rua

que nos passeia.

Temeis o trago longo

o ronco longo

o gole inteiro e longo

e se a noite é longa, temeis também?

Olhei vosso mundo e era apenas

o espelho do meu quarto.

Olhei vossos olhos e eram

os meus olhos.

Olhais ao horizonte e dizei-me o que vedes:

sou eu?

Os loucos, encontrados em seu mundo, riem-se juntos de nós.

Temeis aos loucos, também?

 

Jamile Gonçalves

Check Also

Haicais eróticos de Johny Guimarães

… A  santa  levanta  a  saia Velas  acesas  no  altar – A  celebração  da  punheta. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *